Daniel Alves

Daniel Alves Brasil

Pais de nascimento: Bahia, Brasil

Nacionalidade: Brasileira

Data de nascimento: 05/06/1983 (41 anos)

Pesos de cauda: 172/70

Clube: Pumas/Seleção Brasileira

Posição: Lateral direito

 

Daniel Alves da Silva, raramente referido como “Dani Alves”, é um famoso jogador de futebol profissional brasileiro que trabalha como zagueiro do famoso clube espanhol Barcelona e da seleção brasileira. Natural do município de Juazeiro, na Bahia, Alves nasceu em 6 de maio de 1983 e ganhou os apelidos de “Tarântula” e “Morcego” devido ao seu bom estilo de jogo e abordagem contínua em campo.

Os primeiros anos de Daniel Alves

Daniel Alves da Silva nasceu em 6 de maio de 1983. Ele vem da pitoresca cidade brasileira de Juazeiro, onde foi criado por uma mãe dona de casa trabalhadora e um pai agricultor leal e amante do futebol. Como muitos em sua terra natal empobrecida, a família levou uma existência pequena. No entanto, desde cedo, o jovem Daniel mostrou uma energia ilimitada e contagiante ao chutar uma bola no pequeno quintal da família e, gradualmente, o seu sonho de se tornar um jogador de futebol profissional criou raízes.

Apesar de todas as dificuldades financeiras que a família sofreu, o objetivo do menino não desapareceu e desde os 4 anos trabalhou com o pai nos campos ensolarados, cobrando o preço da confiança. Mas o destino sorriu-lhe quando o seu pai, amante do futebol, reconhecendo o talento e a determinação do filho, aproveitou a oportunidade para formar a sua própria equipa local, permitindo a Daniel dar os primeiros passos em direcção às suas elevadas aspirações.

Dani Alves e a infância

Daniel foi inicialmente atacante no conturbado time de seu pai, mas seu talento e esforço contínuo logo chamaram a atenção de seu treinador, que percebeu que a verdadeira vocação do jovem era a defesa.

A evolução de Daniel Alves em sua carreira

Daniel Alves, mais conhecido pelos apelidos de “Tarântula” e “Morcego”, é um lendário jogador de futebol brasileiro. Atualmente joga como zagueiro do famoso clube espanhol Barcelona e da Seleção Brasileira. Alves nasceu em 6 de maio de 1983 no município de Juazeiro, Bahia, Brasil. Ele provou ser um dos jogadores mais experientes e condecorados do esporte, com uma carreira de sucesso que se estende por mais de duas décadas.

A carreira futebolística de Alves começou na academia do clube local Juazeiro, onde seu talento e vontade de jogar rapidamente ganharam popularidade. Ainda jovem, mostrou habilidade técnica, agilidade e compreensão de jogo que se tornariam as melhores características de sua bela carreira. Os olheiros do Bahia Football Club logo perceberam a atividade de Alves e o convidaram para integrar o time, oportunidade que ele aceitou com firmeza.

O início de uma trajetória profissional no futebol

O primeiro jogo profissional de Alves aconteceu na temporada 2001-02 e ele imediatamente impressionou, jogando 25 partidas e marcando 2 gols. Seus dribles chamaram a atenção do clube espanhol Sevilla, que decidiu emprestar o jovem zagueiro por seis meses em 2002. A passagem de Alves pela Espanha marcou uma virada em seu julgamento.

No ano seguinte, Alves representou o Brasil na Copa do Mundo Sub-20, onde sua seleção saiu vitoriosa e foi eleito um dos três melhores jogadores do torneio. Isso rapidamente acelerou seu tempo no campo de futebol. O Sevilha, após boa atuação de Alves, decidiu comprar a sua transferência por 1 milhão de euros, tendo assinado contrato profissional com o clube até 2008.

A presença de Alves no Sevilha foi recebida com grande sucesso e elogios individuais. Na temporada 2005-2006, ele ganhou seu primeiro troféu digno – a Copa UEFA. No ano seguinte, acrescentou a SuperTaça Europeia à sua crescente colecção. Nas temporadas 2006-07 e 2008-09, Alves desempenhou um papel importante na liderança do Sevilla na política do clube, ajudando o time a conquistar a Copa del Rey e o título da Liga Espanhola.

Daniel Alves no clube do Sevilha
Daniel Alves no clube do Sevilha

A habilidade incansável de Alves e a busca incansável pelo sucesso não passaram despercebidas na seleção brasileira. Ele se tornou titular na equipe, representando seu país em torneios importantes, incluindo a Copa América de 2007 e a Copa das Confederações da FIFA de 2009, ambas vencidas pelo Brasil, com Alves desempenhando um papel crucial.

À medida que Alves crescia profissionalmente, sua reputação só crescia. Em 2008, ele conseguiu chegar ao topo do Barcelona, ​​onde desde então provou ser um dos jogadores mais influentes da história do clube. Seu pensamento tático fez dele um dos times de sucesso do Barcelona, ​​ao ajudar o clube a ganhar vários campeonatos da La Liga, Liga dos Campeões da UEFA e troféus da Copa do Mundo de Clubes da FIFA.

No verão de 2008, um jovem zagueiro brasileiro chamado Daniel Alves chegou ao prestigiado estádio Camp Nou, vestindo as famosas cores do Barcelona e com uma sensação de entusiasmo por dentro. Contratado por uma grande taxa de transferência de € 29-32 milhões, Alves teve que provar seu valor deixado pela saída de Gianluca Zambrotta.

Deixar o Sevilla, seu clube de infância, foi um momento difícil e até emocionante para o talentoso zagueiro, que lutou contra as lágrimas ao se despedir do lugar que chamava de lar. Mas Alves sabia que esta era uma oportunidade profissional para aceitar um novo contrato e mostrar o que há de melhor em outro clube nos palcos do futebol mundial.

Alves estreou-se pelo Barcelona na Liga dos Campeões frente ao Wisła Kraków, a 13 de agosto, marcando o início de uma carreira de sucesso. Poucas semanas depois, ele disputou a La Liga contra o Numancia, buscando se estabelecer como um membro-chave do time do Barcelona.

Daniel Alves no clube do Barcelona
Daniel Alves no clube do Barcelona

Para a temporada 2009-2010, Alves herdou a camisa número 2 estabelecida, anteriormente usada pelo cessante Martin Cáceres. Mesmo uma lesão na perna em novembro de 2019 não impediu o determinado brasileiro de entrar em campo enquanto assistia do lado de fora seu time enfrentar o Rubin Kazan em uma partida da Liga dos Campeões em Kazan. A paixão de Alves pelo jogo ficou evidente em sua energia incansável e determinação em campo. Ele era conhecido por assistir religiosamente às partidas, mesmo quando não estava jogando, pois buscava constantemente melhorar sua compreensão do jogo. O brasileiro apreciava muito a fisicalidade e a intensidade do jogo inglês, embora considerasse seu caráter conflituoso bastante desafiador. Apesar de ter perdido a final da Liga dos Campeões de 2011 devido a suspensão, a contribuição de Alves para o sucesso do Barcelona foi inegável. Suas reações exibicionistas durante as partidas, especialmente o infame incidente com Pepe, causaram debates acalorados e dividiram opiniões, mas Alves permaneceu ele mesmo e ignorou as críticas que enfrentou. Ao longo de sua passagem pelo Barcelona, ​​​​o sonho de Alves de um dia jogar na Inglaterra permaneceu uma perspectiva atraente, pois ele admirava o espírito competitivo da liga e a oportunidade de testar seu valor contra os melhores jogadores do mundo.

No verão de 2011, quando o rico clube russo Anzhi Makhachkala procurou os serviços do zagueiro brasileiro Daniel Alves, a resposta do jogador revelou a verdadeira essência de seu caráter. “Não penso em dinheiro neste momento”, disse Alves, mostrando apenas interesse pelo desporto que adora.

Porém, o verdadeiro destino de Alves o aguardava no clube do Barcelona. Sob Pep Guardiola, Alves emergiu como o zagueiro mais famoso do clube. A taxa de transferência de 35,5 milhões de euros de Alves é, sem dúvida, um investimento significativo, mas provou ser um preço pequeno a pagar pelo grande impacto que trouxe à equipa. Ele não era apenas um protetor; seu intelecto aguçado e capacidade de organizar o jogo o diferenciam dos demais, permitindo ao Barcelona liderar o caminho. Na temporada de estreia, Alves acrescentou a Copa del Rey e a Liga dos Campeões à sua crescente coleção de títulos, o primeiro de muitos triunfos em sua ilustre carreira blaugrana.

Daniel Alves e Pep Guardiola no Barcelona
Daniel Alves e Pep Guardiola no Barcelona

A transferência de Alves para a Juventus em 2016-17 foi uma jogada calculada que o levou mais uma vez a alcançar as alturas do futebol europeu, apesar de perder para o Real Madrid na final da Liga dos Campeões. A separação foi triste; os mal-entendidos com a hierarquia do clube deixaram alguns momentos ruins. No entanto, Alves continuou a ser um talento procurado, e a sua reputação e estratégia não foram prejudicadas pelo revés. No geral, a amizade duradoura de Alves com Lionel Messi foi a prova da química que definiu a era de ouro do Barcelona. As duas estrelas, unidas pelo amor ao jogo e pela dedicação ao clube, criaram um vínculo inquebrável que se estendeu para além do campo e se tornou um símbolo do legado duradouro da equipa.

A excelente carreira de Dani Alves deu-lhe mais exposição na televisão e confiança no jogo. Começando com uma pequena estreia no Sevilha, agraciou o cenário do futebol espanhol e, finalmente, com toda a sua ascensão dentro dos muros do Barcelona, ​​​​Alves, desafiando as dificuldades, tornou-se um dos mais titulados e defensores.

A transferência para o Paris Saint-Germain em 2017 marcou um novo capítulo memorável na história do brasileiro, à medida que ele continuava a deixar sua marca no esporte. Contratado como agente livre, Alves começou a correr, levando o clube parisiense à glória, vencendo a Taça de França, a Taça da Liga e a Supertaça na sua época de estreia.

Daniel Alves no Paris Saint-Germain
Daniel Alves no Paris Saint-Germain

Voltar para casa, seu país natal, o Brasil, com o São Paulo em 2019, foi um momento de pura alegria e celebração, já que os torcedores experientes deram as boas-vindas ao lendário jogador com abraços calorosos. A convenção da apresentação, que contou com a presença de impressionantes 45 mil apoiantes, foi uma prova da popularidade de Alves e da significativa influência que exerceu ao longo da sua ilustre carreira.

À medida que o sol se punha nos seus dias de jogador, Alves viu-se de volta ao ponto onde tudo começou: dentro dos muros do Barcelona. O regresso ao clube catalão em 2021 foi um final adequado para uma carreira marcada por triunfos, desilusões e fidelidade ao desporto que ama. Embora seu tempo no Camp Nou tenha chegado ao fim. O regresso ao clube catalão em 2021 foi um final digno para uma carreira marcada por triunfos, desilusões e dedicação ao desporto que ama. Embora sua passagem pelo Camp Nou tenha chegado ao fim. Mas então ele se juntou ao Unam Pumas, onde disputou várias partidas com suas chuteiras Adidas. Sua carreira não foi tão longa e em 2023 se despediu do clube.

Jogos da Seleção Brasileira

A carreira de Danny Alves no Brasil tem sido excelente. O talentoso zagueiro estreou pela Selesão em 2006, como um jovem promissor que desejava vestir a famosa camisa amarela. Apenas um ano depois, ele ergueu o prestigiado troféu da Copa América, derrotando sua feroz rival Argentina em uma final muito disputada.

O talentoso jogador de futebol competiu então na Copa do Mundo de 2010 na África do Sul, apesar de inicialmente ter sido convocado como jogador reserva. A Copa do Mundo em casa de 2014 lançou Alves como titular, mas fiel aos altos e baixos do futebol internacional, ele logo se viu no banco, um destino que se abateu sobre muitos grandes jogadores.

Implacável, Alves passou pelo árduo processo de qualificação para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia, mas teve brutalmente negada a oportunidade de competir no maior palco devido a uma lesão prematura. A mesma reviravolta cruel do destino aconteceu novamente na final da Taça de França, onde uma lesão prematura mais uma vez lhe negou a oportunidade de mostrar o seu talento num evento tão importante.

Daniel Alves na Seleção Brasileira
Daniel Alves na Seleção Brasileira

Em 2019, Alves finalmente realizou o sonho de sua vida de ser capitão do Brasil, liderando a campanha da Copa América com distinção. Ele teve uma série de atuações marcantes, principalmente contra Peru e Argentina, e foi merecidamente eleito Jogador do Torneio – uma recompensa adequada para um jogador que tanto deu à Seleção ao longo dos anos. Mesmo com a carreira chegando ao fim, Alves permaneceu ele mesmo, e a medalha de ouro olímpica alimentou sua motivação. Apesar de já ser considerado o jogador mais condecorado da história do desporto, disse que ainda se sente jovem e confiante, pronto para somar ao seu notável registo de 118 internacionalizações e oito golos pela selecção nacional.

A triunfante campanha olímpica de Alves foi uma conquista pessoal que transcende as fronteiras esportivas. Aos 38 anos, ele se tornou o jogador mais velho a ganhar o ouro no futebol masculino, encerrando uma lendária carreira de 43 troféus que durou duas décadas no mais alto nível. Uma vitória dramática por 2-1 sobre a Espanha na final, selada por um golo tardio da vitória, demonstrou a sua resiliência, espírito competitivo e pura força de vontade – qualidades que definiram a sua notável carreira.

Depois de deixar os corredores sagrados do Barcelona, ​​​​Alves se juntou ao emergente time mexicano do Pumas, onde rapidamente conquistou uma base de fãs apaixonados. Seu soco cerimonial durante o hino do clube, um gesto tradicional que o novato obviamente dedicou tempo para aprender e respeitar, demonstrou sua vontade de abraçar totalmente a cultura e o espírito do time.

Enquanto Alves se preparava para sua última vitória na Copa do Mundo com o Barcelona Athletic, sua inclusão na seleção brasileira para o torneio destacou sua notável longevidade e resistência. A honra de usar a braçadeira de capitão na partida de abertura contra Camarões ressaltou o respeito e a estima que ele tinha por seus compatriotas, embora o Brasil não tenha conseguido chegar às semifinais.

Vida pessoal

O atleta ativo compartilha informações sobre sua vida pessoal por meio de uma conta dedicada no Instagram, permitindo que seus fiéis fãs acompanhem de perto seus eventos e atividades diárias. Danny costuma postar lindas fotos com sua amada esposa, além de exibir seus penteados em evolução e conjuntos da moda, que muitas vezes ilustram seu talento único na indumentária. Sem medo de experimentar, a atleta prefere looks ousados ​​e atraentes e seleciona com cuidado um guarda-roupa repleto de peças de grife.

Numa ocasião particularmente memorável, o gregário jogador de futebol encantou a sua legião de seguidores com um vídeo divertido dele mesmo andando confiantemente de salto alto, provocando uma mistura de diversão e intriga entre os seus fãs. Fora de campo, o atleta também demonstra um senso de humor maravilhosamente lúdico com seus adorados companheiros. A caminho dos prestigiados Jogos Olímpicos de Tóquio, o sempre carismático Alves fez uma pequena actuação improvisada na cabine do avião, ajudando com bom humor uma comissária de bordo a guiar os passageiros através da demonstração de segurança necessária.

Primeiro relacionamento na vida

A vida pessoal do astro do futebol teve muitos altos e baixos, muitas vezes ofuscada pelo brilho e glamour de suas façanhas em campo. Durante três anos tumultuados, Daniel foi casado com a charmosa Dinora Santana, e juntos tiveram dois filhos – um filho chamado Daniel e uma filha chamada Victoria. Infelizmente, a felicidade da família durou pouco e, em 2011, o casal tomou a difícil decisão de partir. Em um movimento inesperado, Dinora deixou de ser uma esposa dedicada e se tornou agente e porta-voz de Dani, usando seu amplo conhecimento da estrela para orientar seus assuntos profissionais.

Dani Alves Dinora Santana
Fotos juntos

Apesar do fim do casamento após 3 anos, os ex-cônjuges conseguiram manter uma amizade cordial, quase familiar, pelo bem dos filhos. Embora os detalhes íntimos da separação tenham sido mantidos em segredo, houve rumores da suposta infidelidade de Alves que acabou arruinando a união.

Vale ressaltar que Dinora continuou representando profissionalmente o ex-marido, apoiando seus empreendimentos profissionais com a mesma vontade de quando eram casal. Ela até cuidou dele com ternura quando ele foi ferido, mostrando um nível de tristeza que superou a turbulência pessoal de suas tribulações conjugais. Por sua vez, Alves abraçou o seu papel de pai dedicado, valorizando o tempo que passou com o filho e a filha, determinado a garantir que a sua infância não fosse afetada pelo tumulto do divórcio.

Segundo casamento de Dani Alves com Joana Sanz

A história romântica de Daniel Alves tem sido uma verdadeira montanha-russa. A certa altura, o habilidoso jogador de futebol se envolveu com a cativante atriz brasileira Taisha Carvalho. No entanto, em 2017, o coração de Dani encontrou um novo lar com a atraente modelo espanhola Joana Sanz. Sua nova noiva, formada em psicologia, é uma década mais nova que o atleta, acrescentando uma camada extra de intriga ao relacionamento deles.

Daniel Alves e Joana Sanz também
Daniel Alves e Joana Sanz

Curiosamente, Joana não foi conquistada facilmente – ela recusou as propostas de casamento de Dani não em uma, mas em duas ocasiões, antes de finalmente concordar na terceira tentativa. O casamento deles, envolto em segredo, aconteceu no cenário pitoresco da ilha balear de Ibiza.

Tragicamente, em março de 2023, Joana, esposa de Daniel, tomou a difícil decisão de anunciar publicamente a sua separação, marcando o fim da sua união.

Daniel Alves atualmente

Retornando do Catar, o zagueiro foi parar no Brasil, sua terra natal. A fatídica noite em uma boate no dia 30 de dezembro foi um ponto de virada que dividiu irrevogavelmente sua vida em antes e depois. Nos primeiros meses de 2023, começaram a surgir notícias chocantes de que uma queixa de assédio havia sido apresentada contra um jogador proeminente do Pumas.

Segundo a suposta vítima, Alves avançou durante o encontro em uma boate. O jogador de futebol negou veementemente as acusações e a sua esposa também saiu em sua defesa, dizendo que o seu marido sempre se comportou com a máxima dignidade e respeito para com as mulheres – uma característica que ela acredita não poder ser dita para algumas mulheres. que claramente ansiava por sua atenção.

Na noite de 20 de janeiro, Daniel Alves foi preso e, para surpresa de muitos, o tribunal decidiu que ele não poderia pagar fiança. Foi nesta altura que mais detalhes perturbadores vieram à tona, quando o queixoso forneceu mais provas acusando o homem de agressão sexual. O clube mexicano rescindiu prontamente o contrato do zagueiro e Alves pode pegar até 12 anos de prisão se for considerado culpado.

Em Maio, um tribunal recusou-se a conceder o pedido de libertação de Alves, alegando preocupações de que ele pudesse tentar fugir de Espanha e escapar à justiça. Os investigadores ficaram cada vez mais frustrados com as frequentes mudanças no depoimento do jogador de futebol, que, como o próprio Dani admitiu mais tarde, foi a sua tentativa desesperada de salvar de alguma forma o seu casamento.

A conclusão da investigação do caso em novembro trouxe uma reviravolta sombria nos acontecimentos. Os promotores buscaram uma punição severa, solicitando 9 anos de prisão e uma ordem de indenização de € 150.000 para a vítima do acusado, Alvès. Lamentavelmente, o jovem atleta teve mais uma vez negada a liberdade provisória, uma decisão que pesou muito sobre ele. Daniel, ansioso por fazer as pazes, estava disposto a oferecer restituição financeira na esperança de atenuar a sua sentença, mas a mulher acusadora recusou veementemente qualquer reconciliação ou compensação. A sua equipa jurídica defendeu veementemente uma sentença de 12 anos, não disposta a considerar um resultado mais brando. O início do processo judicial estava previsto para o início de 2024, uma data iminente que encheu todos os envolvidos com uma sensação de pavor e incerteza.

Quando as audiências começaram em Fevereiro, o advogado de Dani apelou veementemente por clemência, citando o estado de embriaguez do seu cliente na noite do alegado incidente como um factor atenuante. A defesa também sustentou inflexivelmente que as relações íntimas entre Daniel e a vítima eram, de facto, consensuais, uma afirmação que seria fortemente escrutinada nas próximas semanas.

No final das contas, o jogador de futebol foi condenado a 4,5 anos de prisão e a uma multa de 150 mil euros a pagar à vítima, com uma ordem de restrição adicional de 9,5 anos proibindo-o de se aproximar dela. Em março, Alvès foi libertado sob fiança substancial de 1 milhão de euros enquanto se aguarda o resultado do seu recurso. Para garantir que não tentaria fugir, o atleta entregou seus passaportes, amarrando-o efetivamente ao país. Posteriormente, surgiram rumores de que seu companheiro de equipe, Memphis Depay, do Atlético, talvez tivesse intervindo para pagar a fiança, mas o agente rapidamente rejeitou essas especulações.

Conquistas

AnoConquistas
2001Campeão do Estado
2003Vencedor do Campeonato Mundial de Jovens
2006-2007Vencedor da Copa da Espanha
2008-2009, 2009-2010, 2010-2011, 2012-2013, 2014-2015, 2015-2016Campeão da Espanha
2008-2009, 2010-2011, 2014-2015Vencedor da Liga dos Campeões da UEFA
2009, 2013Vencedor da Copa das Confederações
2009, 2011, 2015Vencedor da Supercopa da UEFA
2016-2017Campeão da Itália
2017-2018, 2018-2019Campeão da França
2017, 2018Vencedor da Supercopa da França
2019Melhor jogador da Copa América
2021Medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio
Perguntas frequentes
Quem pagou a fianca de Daniel Alves?
A mulher que acusa Daniel Alves, quem é ela?
Qual foi a sentença de Daniel Alves ?
Qual é o salário de Daniel Alves?
O que Daniel Alves faz além do futebol?
Daniel Alves